Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

Histórico

Histórico

A área de Teoria Literária e Literatura Comparada funciona na FFLCH da USP desde 1961, criada pelo professor Antonio Candido. Tendo por referência a existência de disciplinas teóricas gerais e especializadas em outras áreas, foi encaminhado à Congregação da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade o pedido de criação de uma área com o nome de Teoria Geral da Literatura, em 1959; dois anos depois, Antonio Candido inaugurava o curso de Teoria da Literatura, posteriormente denominado Teoria Literária e Literatura Comparada. O curso nascia, nas palavras do próprio idealizador, com o intuito de "ensinar de maneira aderente ao texto" e "procurando mostrar de que maneira os conceitos lucram em ser apresentados como instrumentos de prática imediata, isto é, de análise"; quanto aos textos escolhidos, procurava valorizar os autores contemporâneos, até então de pouca presença nos cursos da Faculdade.

Imagem

Durante três anos, Antonio Candido foi o único responsável pelo curso, cujo corpo docente começou a ampliar-se a partir de 1964, com a contratação de Roberto Schwarz; em seguida, vieram a integrar o quadro docente Walnice Nogueira Galvão, Davi Arrigucci Júnior, João Alexandre Barbosa e Teresa Pires Vara, ainda na década de sessenta. Mantinha-se o currículo básico inicial, com um primeiro ano de Introdução aos Estudos Literários, e um quarto ano de Teoria Literária e Literatura Comparada. Na década de setenta, alguns novos professores passaram a atuar na Área: Lucilla Ribeiro Bernardet, Marlyse Meyer, João Luiz Lafetá e Ligia Chiappini.

Em 1989, a disciplina Introdução aos Estudos Literários tornou-se obrigatória para todos os alunos de Letras da Faculdade, criando a necessidade de um número maior de docentes. Em 1990, depois de um longo período de discussão, foi finalmente criado o Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada, com o intuito de continuar desenvolvendo a pesquisa na área e também oferecer um maior número de disciplinas optativas, um antiga reivindicação dos alunos.

 

 

 

***