Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

Literatura e Sociedade n. 9 (2006)

Literatura e Sociedade N.9 (2006)

 

A Revista Literatura e Sociedade está disponível online no Portal de Revistas da USP. Confira o conteúdo completo deste número, acessando nossa página: http://www.revistas.usp.br/ls/issue/view/1488

 

Editorial

           Este número de Literatura e Sociedade se abre com o artigo "Literatura para todos", assinado por Leyla Perrone-Moisés, em franca defesa do ensino da Literatura na escola média e na universidade. Toca num ponto importante, a crise da literatura como instituição, em relação à qual os que se dedicam à Literatura Comparada e aos estudos literários não podem silenciar. Traz-se, assim, para dentro dessa revista, uma problemática viva, que ameaça o "direito à literatura" na sala de aula bem como seu espaço nos órgãos de fomento à pesquisa. Mas o artigo não se esgota nesse assunto: as reflexões, os argumentos e a bibliografia que cercam e fundamentam a leitura crítica de documentos do Ministério da Educação e Cultura (MEC) encontram ecos em muitos outros escritos reunidos neste número, dedicado à Literatura Comparada.

          Juntam-se a "Literatura para todos", "Além da literatura", de Marcos Piason Natali; "Goethe e a tradução: a construção da identidade na dinâmica da diferença", de João Azenha Júnior; "Em busca das refrações na literatura brasileira traduzida - Revendo a ferramenta de análise", de Francis Henrik Aubert; "Encontros na travessia", de Tânia Franco Carvalhal, e "Identidades compósitas, escrituras híbridas: Brasil, Québec e Antilhas", de Zilá Bernd, na composição de um conjunto de artigos que se completam. O leitor perceberá que sua disposição se rege pela presença de temas, conceitos e até de referência a autores que, de uma maneira ou de outra, os unem, independentemente de serem mais ou menos abrangentes.

          A seção "Ensaios" é composta, também, por um grande número de leituras crítico-comparatistas. Optamos por reunir, num primeiro momento, as colaborações de vários docentes do Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada (DTLLC-USP), por ordem alfabética, a fim de darmos uma visão de conjunto de nossa prática de leitura comparatista e uma amostra de parte do repertório literário, objeto de nossas pesquisas e matéria de nossas aulas: "Duas lobas" (leitura dos contos "A loba", de Giovanni Verga, e "A benfazeja", de Guimarães Rosa), de Ana Paula Pacheco; "Leitura em tom menor" (análise de "A aventura de um leitor", de Ítalo Calvino, sob o prisma do bovarismo e da recepção estética), de Andrea Saad Hossne; "Um improvável precursor: Tchecov e Kafka" (comparação entre o conto "Enfermaria n.6" e O processo), de Betina Bischof; '"Cosas de Espana' em Murilo Mendes" (leitura de poemas de Tempo espanhol e seu diálogo com a literatura e as artes), de Cleusa Rios Pinheiro Passos; "De Fausto a Fausto: o gaúcho na ópera" (o poema Fausto de Estanislao dei Campo e a ópera de Gounod), de Lígia Chiappini Moraes Leite; "Virgínia Woolf, leitora de ficção russa" (comprovado pela análise de ensaios e narrativas da escritora), de Regina Pontieri.

          Seguem-se os artigos de colegas da FFLCH, com os quais mantemos fecundos diálogos intelectuais em projetos de pesquisa e em encontros acadêmicos: "Cancioneiro de um brasilambulante - NYC como destino" (desenho dos efeitos do trânsito migratório para NY em sete canções brasileiras), de José Carlos Sebe; "A terceira menina (uma leitura do romance Tess of the D'Urverviíles, de Thomas Hardy, à luz do ensaio Duas meninas, de Roberto Schwarz), de Sandra Guardini Teixeira Vasconcelos; "Max Aub, leitor de Cervantes" (demonstrado pela análise de procedimentos apropriados do autor clássico pelo contemporâneo), de Valéria de Marco.

           Fecham essa seção os artigos "De Mendel Beiliss, o judeu pária, a Joseph K., a vítima universal e uma interpretação de O processo, de Kafka", de Michel Löwy, da Universidade de Paris, e que atuou como professor visitante em nosso Departamento; "'Carta de Paris': ao pé da letra..." (leitura dessa obra como exemplo do processo criativo de Ana Cristina César, marcado por diálogos com outros escritores, dentre os quais Baudelaire), do francês Michel Riaudel, tradutor, estudioso da literatura brasileira e interlocutor de vários colegas da FFLCH; "O Brasil no imaginário francês: tentações ideológicas e recorrências míticas (1880-1980)", de Pierre Rivas, da Universidade de Nanterre, um dos nossos mais assíduos e imprescindíveis interlocutores no que diz respeito às relações entre Brasil e França, tendo sido também professor visitante de nosso Departamento; '"Nobody can translate': a obra enigmática de John Ashbery no contexto internacional", de Ulrich Johannes Bell, da Universidade de Munique, que também trabalhou conosco, na área de Literatura Alemã.

          Contrariando a praxe de reeditar textos de acesso difícil na seção "Rodapé", desta vez, apenas "Literatura comparada", de Roger Bastide, coloca-se nessa situação. "Paixão dos valores", de António Cândido, publicado em 1943, foi reeditado recentemente. Decidimos incluí-lo por se tratar de uma das primeiras leituras acuradas de Monsieur Ouine, romance de Georges Bernanos, cuja repercussão crítica na França não foi das melhores, naquele momento. E, também, porque será referido várias vezes no "Dossiê Bernanos no Brasil", que aqui publicamos.

         Em "Uma tradução e as suas circunstâncias", Marlyse Meyer, professora aposentada da Unicamp, nos fala de sua experiência na França e de sua tradução, para o francês, de Uma vida de menina, de Helena Morley, o livro brasileiro preferido de Bernanos. Vera Lúcia de Oliveira ocupa, com Marlyse Meyer, a seção "Depoimentos": poeta e professora de Literatura Brasileira na Universidade de Lecce (Itália), ela relata, em "Diástole e sístole, movimentos de uma experiência poética", sua experiência de escritora "migrante" e que convive, na poesia, com o fenómeno do bilingúismo. Uma pequena antologia de poemas complementa e ilustra o depoimento de nossa colega poeta.

             A seção "Dossiê", inaugurada neste número, concentra-se na presença de Bernanos no Brasil. Reúne a conferência "Bernanos e o Brasil", de Monique Gosselin, professora de Nanterre e especialista em Literatura Francesa do século XX, e comunicações apresentadas em colóquios sobre o escritor francês no Brasil e na França: "Bastide vê Bernanos", de Glória Carneiro Amaral; "Alceu Amoroso Lima e Bernanos", de Maria Cecília de Moraes Pinto; "Georges Bernanos e Sérgio Milliet", de Regina Salgado Campos; "A biblioteca brasileira de Bernanos", de Sandra Nitrini; e "Murilo Mendes e Georges Bernanos: diálogos na memória", de Teresa de Almeida, da Universidade Mackenzie e do Núcleo de Pesquisa Brasil-França (IEA-USP), do qual participam também as autoras que a precedem.

               A seção "Biblioteca" destaca, por fim, publicações recentes de docentes do Departamento.

          A partir do número 7, a Comissão Editorial adotou o rodízio entre seus membros, de forma que, a cada número, uma de nós seja a principal organizadora desta revista. Desta vez, coube à professora Sandra Nitrini a responsabilidade pela escolha do tema e dos artigos.
Com o número atual, encerra-se o período de dedicação da presente Comissão Editorial, que se incumbiu da organização dos números 5 e 6, "Edições comemorativas dos 40 anos da Área de Teoria Literária e Literatura Comparada e 10 do Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada", número 7 "Modernismo", e do número 8 "Literatura Contemporânea".

            Desejamos aos colegas que vão nos substituir sucesso nos futuros projetos editoriais da revista do DTLLC. Adiantamos que o tema do próximo número será "Literatura e Psicanálise".

 

SUMÁRIO

 

Ensaios

Literatura para todos
Leyla Perrone-Moisés

Além da literatura
Marcos Piason Natali

Goethe e a tradução: a construção da identidade na dinâmica da diferença
João Azenha Junior

Em busca das refrações na literatura brasileira traduzida - revendo a ferramenta de análise
Francis Henrik Aubert

Encontros na travessia
Tania Franco Carvalhal

Identidades compósitas, escrituras híbridas: Brasil, Quebec e Antilhas
Zilá Bernd

Duas lobas
Ana Paula Pacheco

Leitura em tom menor
Andrea Saad Hossne

Um improvável precursor: Tchecov e Kafka
Betina Bischof

“Cosas de España" em Murilo Mendes
Cleusa Rios Pinheiro Passos

De Fausto a Fausto: o gaúcho na ópera
Lígia Chiappini Moraes Leite

Virginia Woolf, leitora de ficção russa
Regina Pontieri

Cancioneiro de um brasilambulante - NYC como destino
José Carlos Sebe

A terceira menina

Sandra Guardini Teixeira Vasconcelos

Max Aub, leitor de Cervantes

Valeria de Marco

De Mendel Beiliss, o judeu pária, a Joseph K., a vítima universal.

Uma interpretação de O processo de Kafka

Michael Löwy

"Carta de Paris": ao pé da letra...

Michel Riaudel

O Brasil no imaginário francês: tentações ideológicas e recorrências míticas (1880-1980)

Pierre Rivas

"Nobody can translate": a obra enigmática de John Ashbery no contexto internacional

Ulrich Johannes Beil

Rodapé

Sociologia e literatura comparada

Roger Bastide

Paixão de valores

Antonio Candido

 

Depoimentos

Uma tradução e as suas circunstâncias

Marlyse Meyer

Diástole e sístole: movimentos de uma experiência poética
Vera Lúcia de Oliveira

Dossiê: Bernanos e o Brasil

Bernanos e o Brasil

Monique Gosselin

Bastide vê Bernanos

Glória Carneiro do Amaral

Alceu Amoroso Lima e Bernanos

Maria Cecília de Moraes Pinto

Georges Bernanos e Sérgio Milliet

Regina Salgado Campos

A biblioteca brasileira de Bernanos

Sandra Nitrini

Murilo Mendes e Bernanos: diálogos na memória

Teresa de Almeida

 

Biblioteca

Publicações do Departamento

 

COMISSÃO EDITORIAL
Sandra Nitrini (coord.)
Maria Augusta Fonseca
Viviana Bosi